RSS

Arquivo da tag: França

Mais uma vez a maravilhosa França!

Semana passada tivemos mais um encontro Freak na casa de nosso Confrade Bat Botinha que como sempre superou-se no jantar servindo um Bouef Bourguignon  com a carne sendo prepadara com toques de chocolate!! isto mesmo, e ficou uma delícia. ( Claro que o prato foi salvo pelo nariz apurado do confrade BA que notou algo queimando na cozinha…) Bem, mas vamos falar um pouco dos vinhos da noite, qu roubaram a cena.

Champagne Barnaut Millesime 2000 – Brut – Grand Cru – Bouzy

 Amarelo dourado intenso, com linda perlage muito intensa e muito, mas muito prolongada, incríveis 30 minutos depois de servido na taça ela continuava la. Nariz incrível, aromas terciários de casca de pão, levedura, cogumelos frescos recém tirados da terra.

Boca incrível, primeiro ataque inicia discreto e evolui de forma impressionante, equilíbrio entre acidez e maciez, final de boca seco, duro, mas muito agradável.

É sempre uma experiência incrível degustar um champagne safrado tão vivo e tão fresco, este é realmente um daqueles espumantes para momentos especiais. A boa notícia é que este está disponível no Brasil pela Decanter.

Poully Fummé  2010 Mademoiselle T – Tracy-sur Loire – Valle do Loire

 Um branco da denominação de Poully Fumé, 100% Sauvignon Blanc. O que rouba a cena neste vinho é seu nariz, impressionante seus aromas cítricos, maça verde, frutas cítricas, maracujá, além de sopros florais, incrível. Muito intenso. Na boca um primeiro ataque franco, carnudo, acidez controlada, não muito intenso, final de boca com um amargor muito marcado mas muito agradável. Muito crocante e saboroso, um branco a ser degustado com certeza.

Chablis Grand Cru Lês Clos 2007 – Alain Geofroy

Nada como um grande Chablis, incomparável, ainda mais quando estamos falando de um Grand Cru da apelação de Lês Clos. Este Grand Cru vem de um vinhedo com exposição totalmente sul, de solos Kimméridgien, este apresentou coloração amarelo palha com toques dourados. Nariz apesar de discreto elegantíssimo, toques que baunilha fresca, manteiga, paçoca de milho e notas minerais. Na boca o tempo para, primeiro ataque fulminante, com grande acidez e volume de boca, final de boca longuíssimo. Novamente mineralidade rouba a cena, incrível.

Bourgogne Sauvigny les Beaunes 2008 – Antonin Guyon

Como é bom retornar a Borgonha com os tintos, que classe, que elegância, aquela cor granada quase esmaecida, no nariz etéreo suave, frutas vermelhas, fumme típico, amoras selvagens. Na boca aquela acidez e fruta típica, primeiro ataque curto mas com uma grande evolução e final de boca muito marcado.

Lindo, maravilhoso. Grande tinto.

Bourgogne Aloxe Corton 2006 1 er Cru Les Fourniere – Antonin Guyon

 Aloxe Corton é um village ao norte da Cote de Beaune com exposição praticamente toda ao sul. A parcela de Aloxe Corton 1er Cru Les Fourniere se encontra com uma belíssima exposição de apenas 1 hectare. Linda coloração rubi esmaecida com aromas fummes e de frutas vermelhas frescas, na boca muito balanceado e feminino com seus toques de carvalho perfeitamente integrados ao corpo. Um vinho para ser guardado por pelo menos mais uns 10 anos.

Jean Luc Colombo Le Rouet Hermitage Rouge 2005

 Saimos de tintos femininos e elegantes para o que há de mais potente na França, um Rhone da denominação de Hermitage, um tinto 100% Syrah de muita pegada, boca muito ampla e estruturada com toques apimentados e levemente licorosos. Final de boca marcado e longo, este é daqueles tintos que pedem um grande prato para acompanhar. Nossa única ressalva é que está um pouco caro para o que entrega, mas ainda sim grande.

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 2 de junho de 2012 em Dicas, Notícias

 

Tags: , , , ,

Bodega CarinaE: Onde as estrelas são as pessoas, os vinhos são brilhantes!!!

Nosso Confrade Cristiano Ribeiro acaba de ganhar um concorrente à altura no que se refere a indicações brilhantes de bodegas em Mendoza. O Enólogo portenho José Eduardo Molteno, proprietário da Enoteca La Cava de Vittório que fica na Calle Arenales, 2321 em Buenos Aires www.lacavadevittorio.com.ar .

Seus contatos com os proprietários (além é claro, da indicação da compra do então desconhecido Carinae Finca Deneza em minha última visita à Capital Argentina), nos possibilitaram conhecer de uma forma muito especial a Bodega Boutique Carinae, localizada em Cruz de Piedra – Maipú.

Com um céu desses só podia ser um dia especial!!!

– ” Es una bodega muy pequeña que hace vinos artesanales en Mendoza, con un toque de Viejo Mundo”. Me recordei prontamente das palavras proferidas pelo Eduardo quando me indicou a garrafa do malbec 2010 que degustei com os confrades em um encontro com nossas esposas no restaurante Divino em Gramado. E quando estacionamos a van ao lado de uma pequena construção em Adobe pintada de amarelo e fomos recebidos pelo enorme sorriso de Brigitte Subra tive certeza de estávamos em um quadrante especial nessa constelação de bodegas argentinas.

Brigitte e sua simpatia...uma das marcas da Carinae.

Com um espanhol perfeito, carregado pelo indefectível sotaque francês, a proprietária da bodega nos pediu para aguardar alguns instantes para que pudesse nos acompanhar em uma visita pela propriedade, seguida pela degustação de seus vinhos. Rapidamente estávamos imersos num mundo de constelações e estrelas que guiaram o casal de franceses de Marseille (que segundo a própria não entendia absolutamente nada de vinhos) para o comando de uma vinícola na Argentina.

Após muitos anos de trabalho e, aproveitando uma política de downsizing com demissão premiada da empresa multinacional em que Philippe trabalhava, resolveram mudar completamente suas vidas adquirindo um vinhedo de cerca de 80 anos de idade com 11 hectares de malbec, cabernet sauvignon e syrah com uma cantina antiga de paredes de adobe em ruínas e algumas dezenas de pilhetas de concreto.

Passado e Presente em fotos reveladoras.

Segundo Brigitte, imediatamente visualizaram o prédio atual e, de forma a expressar a paixão pela astronomia do marido resolveram batizar a vinícola com o nome de uma constelação que acompanha por quase todo o ano a propriedade. Carina, a Quilha, é uma constelação do hemisfério celestial sul, vizinha do nosso conhecido cruzeiro do sul. O genitivo, usado para formar nomes de estrelas, é Carinae.

Nebulosa Carina...a inspiração do casal Subra para seus os vinhos.

Além do vinhedo principal, outros 4,5 hectares de Malbec de 88 anos de idade foi adquirido em seguida no distrito de Pedriel, Rua Cobos (Lujan de Cuyo). Esta vinícola tem uma capacidade modesta para os padrões mendocinos – 260.000 litros anuais, uma cava com 27.000 litros em barris de carvalho francês, aliando ao uso de equipamentos até certo ponto rústicos (como a prensa francesa do início do século XX à tecnologia e consultoria de profissionais como o renomado Michel Roland e sua equipe para elaborar vinhos de alta qualidade.

Winefreaks ansiosos pela degustação dos vinhos da Carinae. Na foto, da esquerda para a direita, Jonas, Cristiano, Enzo, Isac e Leandro (abaixado).

Após visitar as instalações e conhecer cada um dos processos e pessoas envolvidos, fomos direcionados à sala de degustação, agora acompanhados pelo Philippe

Com uma extensa gama de produtos, tendo a Malbec como grande estrela, a jovem Bodega empolgou os Winefreaks. Provamos TODOS os vinhos da empresa e vamos dar nossas impressões à partir de agora:

Carinae Rose Malbec 2011, 13%. Rose de coloração mais intensa, salmão para cereja, aromas intensos de frutas vermelhas, goiaba, na boca boa estrutura, um rose mais robusto, em nossa opinião estava um pouco pesado demais no visual e na boca, informação que Philippe acabou nos respondendo por ter deixado uma extração um pouco mais longa do que gostaria.

Carinae Torrontes 2011. Vinificado com a variedade torrontes Riojano plantada em Mendoza, típico, amarelo palha bem claro com aromas de frutas cítricas, florais e final remetendo a maracujá. Na boca ótima tipicidade, equilibrado, com um final de boca muito agradável, não foi um dos melhores torrontes que degustamos na trip, mas não decepcionou.

Carinae Malbec 2010. Este Malbec de entrada da Carinae já demonstra que esta Bodega especializou-se nos tintos. Esta proposta mais jovem sem passagem por carvalho apresentou no nariz lindos aromas de ameixas negras, frutas vermelhas, principalmente morangos. Na boca excelente equilíbrio, tinha volume de boca suficiente para sustentar sua acidez, final de boca longo e muito agradável. Iniciamos os trabalhos dos tintos com o pé direito.

Carinae Cuvée Brigitte 2009. 72% Malbec / 28% Cabernet Sauvignon. Este tinto potente com 14,5% álcool não chegou a ser pesado, lembrou um pouco o malbec de entrada mas com mais intensidade de nariz e volume de boca. Taninos ainda nervosos com uma acidez bem marcada, a Cabernet entrou em cena. Sem duvidas um vinho mais gastronômico. Bela proposta.

Octans 2009. 79% Malbec / 21% Syrah. Esta foi uma das amostras mais interessantes que degustamos, é um vinho que passa 100% por barricas de carvalho francês de 3º uso por 8 a 10 meses com o intuito de afiná-lo um pouco e não passar aromas do carvalho. É o vinho da casa, não está  a venda no mercado, pode-se encontrá-lo somente da Bodega. Um tinto de grande pegada, taninos extremamente marcantes, potência, com certeza necessita um pouco mais de tempo em garrafa. Aqui já notamos o trabalho que a Carinae vem fazendo com a cepa Syrah, coisas boas ainda nos aguardavam.

Carinae Reserva Malbec 2009. Este tinto é um corte de duas parcelas distintas de Malbec de vinhedos diferentes. Passa 100% por barricas de carvalho francês de 2º e 3º uso por 10 a 12 meses. Um tinto carnudo, amplo, aromas animais, couro, tabaco, especiarias. Na boca um primeiro ataque cheio, com ótima pegada, acidez viva e balanceada. Um excelente Malbec.

Carinae Malbec Finca Deneza 2009. Este Malbec utiliza uvas de um único vinhedo localizado em Luján de Cuyo, passa de 8 a 10 meses em barricas de carvalho francês de primeiro e segundo uso. Um belo tinto, ótimo nariz, notas cozidas, frutas vermelhas secas, na boca um pouco denso, tem um ótimo volume, mas gostariamos de um pouco mais de acidez para balançar o conjunto. Um tinto de estilo mais gastronômico.

Carinae Cabernet Sauvignon 2008 Reserva. Crianza de 8 a 10 meses em barricas francesas de 2º e 3º uso. Um cabernet de grande pegada, taninos nervosíssimos quase verdes, levemente adstringente, em nossa opinião precisa de mais um tempo de afinamento. Como Philippe já tem este vinho no mercado nossa sugestão é degustá-lo com um prato intenso e gorduroso para balançar esta veia ácida dura.

Carinae Reserva Syrah 2008. Mesma crianza dos vinhos anteriores. Aqui começou a ficar claro que a Syrah é uma das meninas de ouro da Carinae, intenso no nariz, toques animais, pimenta negra moída na hora, alcaçuz. Na boca um monstro, primeiro ataque com grande potência e força, taninos nervosos mas nesta caso domados, apesar do seu volume de boca não chega a ser pesado. Excelente tinto.

Carinae Gran Reserva Malbec 2008. Aqui passamos a outro tipo de crianza dos vinhos anteriores, este tinto passa 15 meses amadurecendo em barricas de carvalho de primeiro uso. É um Malbec proveniente de dois vinhedos distintos. Com base nos vinhos anteriores esperava um Malbec muito potente, receando que até demais, mas não, estava incrível, equilibradíssimo. No nariz os aromas francos da Malbec estavam presentes e na boca  grande equilíbrio e força. O primeiro “Freak” da degustação que, por mais incrível que pudesse parecer, ainda tinha muito pra mostrar!!!

Carinae Gran Reserva Syrah 2008. Mesma crianza do Gran Malbec. Que tinto grandioso, um titã, muito complexo, tanto no nariz como na boca apresenta aromas levemente licorosos. Primeiro ataque na boca vigoroso mas evolui para um equilíbrio incrível, no final de boca todas as suas percepções se mesclam trazendo uma percepção de uma obra de arte bem acabada. Um grandíssimo Syrah….”Time Freeze” em todos os freaks que ainda sobreviviam!!!!

Carinae Prestige 2008. Um tinto elaborado com 70% Malbec / 25% Cabernet / 5% Malbec. Crianza de 18 meses em barricas de carvalho Frances novas. Podemos dizer que fechamos a degustação dos tintos com chave de ouro, a crescente foi incrível, este Prestige no nariz inicia discreto mas com a aeração abre-se para lindos aromas de cassis, frutas vermelhas cozidas, toques mentolados. Na boca perfeito, não apresentou arestas, equilíbrio e força em sinergia. Final de boca longo e agradável. Foi talvez o melhor vinho degustado em toda a viagem. Mereceu o título de freak do dia!!!!

Passito de los Andes 2011. Para encerrar a degustação Philippe nos ofereceu um licoroso recém engarrafado.  Este passito foi vinificado ao estilo dos passito italianos onde parte das uvas são vinificadas normalmente e parte das uvas são secas ao sol para concentrar seus açúcares. Possui 15% de álcool e 80gr/l de açúcar residual. No nariz lindos aromas de damascos secos, laranja Kinkan e geléia de laranja. Na boca tem um primeiro ataque interessante mas nos pareceu um pouco ralo, leve para um licoroso, acreditamos que precisaria de um pouco mais de açúcar para torná-lo mais apetitoso.

Depois dessa impressionante degustação, fica a certeza de que acima do terroir, do clima e da tecnologia, as pessoas e o que se extrai de suas almas fazem toda a diferença quando se buscam vinhos realmente surpreendentes.

Ainda bem que não dá pra ver os dentes e os lábios roxos...dá-lhe tanino nessa galera!!!!

Obrigado  Philippe e Brigitte por tudo!!!!

 
2 Comentários

Publicado por em 13 de fevereiro de 2012 em Bobagens, Dicas, Notícias, Novidades, Técnicas e conceitos

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

As estrelas da noite Vinho e Cinema – Gramado – RS

As estrelas da noite Vinho e Cinema - Gramado - RS enfileiradas

 

 
2 Comentários

Publicado por em 25 de outubro de 2011 em Dicas, Notícias

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Vinho e Cinema em perfeita harmonia em Gramado – RS

Na última quinta-feira, 20 de outubro, alguns dos winefreaks participaram de um evento muito interessante organizado pela importadora Porto a Porto, a Casa Flora e a Enoteca San Tao. Nele, o jornalista e especialista em vinhos Marcelo Copello apresentou grandes vinhos de diversas castas e nacionalidades e procurou relacioná-las como estrelas de cinema, além de apresentar um pouco do que já foi produzido sobre vinhos em filmes e documentários.

Da esquerda para direita, o Sommelier e Winefreak Cristiano Ribeiro, o Gerente da Porto a Porto Hugo Sola Jr. e o Palestrante Marcelo Copello.

O jantar temático foi uma forma muito interesante de promover grandes vinhos em um clima muito leve e sem a pompa que um evento padrão de degustação possui.  Fomos recebidos logo no hall de entrada com uma Cava Don Román, feita das uvas Macabeo, ParelladaXarello, com uma bela cor palha com reflexos dourados e o tipo de perlage abundante que tanto me atrai em um bom espumante…aromas de frutas citricas como pêra e abacaxi preparavam-nos para a bela acidez de boca com alguma untuosidade e um final cítrico e frutado com boa persistência.

Enquanto Marcelo mostrava os atores e diretores que estavam envolvidos com o mundo dos vinhos, como Copolla e Gerard Depardieu, recebemos um belo Chardonnay americano, o Ironstone Reserve 2009 – que foi muito bem harmonizado com uma salada de folhas verdes com lascas de Grana Padano aromatizado com ervas de Provance. Podemos realemente enquadrá-lo como um clássico Chardonnay da Califórnia, apresentando aromas minerais extremamente marcantes, além de uma gama de frutas tropicais e um fundo de caramelo e manteiga…realmente me conquistou!!! Na boca mantém aquela untuosidade e o frutado,com ótimo retro-gosto e boa persistência.

Mesclum de verdes com Gran Padano acompanhado de um belo Chardonnay

Daí pra frente só tivemos boas novas…Juntamente com a chegada do segundo prato, um Robalo com crosta crocante de castanhas de cajú, manteiga de alcaparras e um delicioso purê de mandioquinha, recebemos um Pinot Noir da Nova Zelândia muito interessante – o One Tree – 2008 de Central Otago com uma bela cor rubi, muito brilhante, com aroma de frutas vermelhas in natura ( eu e o Jonas encontramos moranguinhos e algo como amoras ainda meio maduras) com um toque muito sutil de ervas e flores. Na boca presentou um corpo condizente com a uva, boa acidez e taninos bem delicados, reforçando sobretudo as frutas no retrogosto. Boa pedida para pratos leves e para o calor que está por vir…

Robalo com crosta de Castanhas e purê de mandioquinha muito bem acompanhado pelos vinhos

Entre os pratos chegou o Chateau Haura – 2005 , um Bordeaux de incrível custo x benefício que não deixa nada a desejar aos vinhos da região muito mais caros…de coloração rubi, deliciosos aroma frutado muito integrado com a madeira tostada no ponto que só os grandes vinhos do velho mundo possuem e um discreto café de fundo. O corte parece ter um toque muito interessante da uva Merlot, resultado mostra claramente a mão do renomado Pierre Dubourdieu, produtor destacado na região de Graves. Na boca tem taninos macios e muito delicados da Cabernet sauvignon e o corpo dado pela Merlot. Retrogosto com acidez muito interessante e fruta. Venceu como o mais elegante da noite…vou comprar algumas garrafas!!! Tem 12,5% de álcool.

A mesa brilhando com as estrelas da Degustação da Porto a Porto e Casa Flora em Gramado-RS

Daí pra frente somente Blockbusters…nada menos que um Marquês de Tomares Reserva – 2005 advindo de belas garrafas Magnun de 1,5 litros…para muitos (não para os winefreaks…) o grande vinho da noite. De cor rubi muito intensa (aquela cor de telha novinha nos refexos…) Seus aromas são complexos e intensos, com muita fruta em compota, especiaria, notas animais (colaboração do Jonas)  e baunilha. Na boca um tijolão!!! Se mostra bastante complexo, com ótimos taninos e reforço das impressões de frutas maduras combinadas com um fundo tostado típico…Possui grande persistência na boca…

Para saber mais: Vinhedos com mais de 25 anos. Produção máxima de 5.000 kg por hectare. Uvas 100% desengaçadas. 30 dias de maceração, com duas remontagens diárias com 1 hora de duração cada. Estágio de 24 meses em barricas de carvalho americano, com trasfegas a cada 6 meses. Descanço de 24 meses na garrafa (mínimo) antes da comercialização. Tempranillo (85%), Mazuelo (10%), Graciano (5%) Malbec

Todos os vinhos tranquilos da noite juntamente com o Filé com Risoto de Funghy Porcinni

O último tinto tranquilo foi o nervoso Cadus 2007 – somente o preferido de Parker entre os vinhos argentinos – direto de Luján de Cuyo – Mendoza, o vinho da uva Malbec, que espera 24 meses em barricas novas de carvalho françês não decepcionou os mais de 30 empresários presentes. De cor rubi mais que intenso com reflexos violáceos, aromas muito encorpados de frutas escuras, com baunilha e tostados, na boca, uma pancada…muito corpo, frutas muito maduras num retrogosto incrível, boa acidez, taninos extremamente finos com final harmônico de muuuita persistência…matador!!! Somente 15,5% de alcool…Harmonizou como uma luva com o Tournedor de filé com risoto de funghy porcinni…

Esse carrinho eu queria todo dia lá em casa!!!!

Pra fechar…e olha que nós já estávamos nos entregando!!! Um Madeira Justinos 10 anos para acompanhar o brownie diferente de amêndoas folhadas ao sorvete de baunilha negra…Combinação incrível de doçura e mineralidade…recomendo aos novatos e conhecedores!!!

Depois de tantos vinhos e comidas incríveis o gran finale vem com a sobremesa e o Madeira.

Ficam aqui nossos agradecimentos pelo convite ilustrados pela foto do Chef da noite com o Cris…Saúde!!!

 
4 Comentários

Publicado por em 24 de outubro de 2011 em Dicas, Notícias, Novidades

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

  •  
    %d blogueiros gostam disto: