RSS

Arquivo da tag: Marlborough

Vinho do dia – Winefreaks – Jackson Marlborough Sauvignon Blanc Branco – Nova Zelândia

Jackson Marlborough Sauvignon Blanc Branco

Safra

2008

Composição

100% Sauvignon Blanc

Características

Corpo Médio
Beber
Sem madeira

Dados Técnicos

Álcool: 13%
Açúcar: 3,5 g/l
Acidez: 7,8 g/l
PH: 3,35

Degustação

Bom corpo, frescor e boa acidez.

Aromas de maracujá, manjericão e especiarias.

Mostra na boca frutas tropicais maduras e pimentão, com um final longo e saboroso.

Harmonização

Este vinho acompanhará pratos de frutos do mar, especialmente mexilhões (como os enormes New Zealand Green Lip Mussels) e pratos vegetarianos em geral.

Este é considerado um ótimo vinho para os Vegans.

Impressões

“Excepcional valor… Que eu saiba, John e Warwick Stichbury produzem o melhor sauvignon blanc de Marlborough consistentemente, e o tem feito desde a primeira safra em 1991. Tem um sabor vibrante de frutas, é muito intenso e de fineza extraordinária. Jackson Estate é, na minha opinião, melhor (que o Cloudy Bay Sauvignon Blanc). E mesmo mais consistente em qualidade.”

TOM STEVENSON, The New Sotheby’s Encyclopedia of Wine

Terroir

As uvas para este vinho vieram de 12 diferentes vinhedos das subregiões de Marlborough: Wairau, Renwick, Omaka e Waihopai.

Elaboração

As uvas de 20 parcelas diferentes foram prensadas separadamente em ambiente anaerobico e estocadas em tanque para sedimentação a frio durante 3 dias a 10ºC.

O mosto resultande foi transferido para tanques de aço inox e inoculado com leveduras neutras para não influenciar a personalidade dos vinhedos.

A fermentação durou em média 3 semanas em baixa temperatura, entre 11º e 13ºC.

Em seguida, os vinhos tiveram os resíduos grossos separados e passaram 2 meses maturando sobre as borras finas antes da filtragem leve para engarrafamento.

Consumo e Guarda

Ideal para ser bebido jovem ou até em 3 anos.

Fonte: Premium Wines www.premiumwines.com.br

 
Deixe um comentário

Publicado por em 19 de outubro de 2011 em Dicas, Notícias, Novidades

 

Tags: , , , , , , , ,

Vinhos da Nova Zelândia – Jackson Estate – Marlborough

Como a Nova Zelândia é o tema Winefreak do mês, vamos apresentar de forma simples e descontraida, as principais regiões vínícolas do país, os principais produtores e seus vinhos…aproveitem conosco, participem e opinem!!!

Vamos iniciar com a principal região vinícola da Nova Zelândia, a Região de Marlborough  na Ilha Sul, JACKSON ESTATE

 

Vista Aérea de Jackson Estate

 

A Vinícola:

Há mais de 160 anos as famílias Jackson e Stichbury cultivam a terra na planície do rio Wairau, em Marlborough. Há três décadas começaram a cultivar uvas e em 1991 fizeram os seus primeiros vinhos.

Trabalham utilizando tecnologia de ponta, respeito à natureza e atenção a cada detalhe, e expressam intensamente em seus vinhos as melhores características regionais.Para Tom Stevenson, comentarista inglês, é o melhor e mais consistente Sauvignon Blanc do país.

Jackson Estate foi fundada em 1991.

Proprietário

John Stichbury

Enólogo

Mike Paterson

Principal Vinho: Jackson Marlborough Sauvignon Blanc 2008

Site: www.jacksonestate.co.nz

História:

Adam Jackson chegou à Nova Zelândia com sua jovem esposa em 1842, vindo da Inglaterra. Desde então cada geração tem cultivado a propriedade conhecida como Jackson Estate no centro da região de Marlborough.

A  árvore que ornamenta os rótulos da vinícola foi plantada por Alice Jackson em 1867 e atualmente tem 42 metros de altura.

A vinícola foi fundada em 1988 por John and Jo Stichbury quando plantaram o vinhedo Homestead. Os primeiros vinhos foram comercializados em 1991 com rótulos de Jackson Estate.

John Stichbury

O Terroir:

Marlborough tem frequentemente o recorde do total de horas de calor e sol da Nova Zelândia.

Localizada na latitude similar oposta entre a Borgonha e Bordeaux, as médias de temperatura do dia são menores que na França, com a estação de maturação se estendendo até abril e com noites frescas colaborando para preservar a acidez das uvas. Essas condições, combinadas com o regime reduzido de chuvas durante a época de crescimento contribui para os sabores únicos dos vinhos Jackson.

Os quatro vinhedos: Homestead, Stonewall, Blue Hills e Somerset

Os Vinhedos:

Jackson Estate possui quatro vinhedos, todos localizados  no coração da região vinícola de Marlborough:

– Homestead – Plantado originalmente com sauvignon blanc, chardonnay, riesling e pinot noir, possui solos que estimulam a mineralidade e as notas herbáceas típicas do estilo dos vinhos Jackson. As videiras são conduzidas para otimizar a insolação e as técnicas de poda e raleio garantem baixos rendimentos de frutas de alta qualidade.

– Stonewall – Este vinhedo está localizado na Gifford`s Road, uma continuação da Jackson Road perto do rio Wairau. As videiras de sauvignon blanc são podadas em duas guias para reduzir o rendimento e aumentar a concentração de sabor nas uvas. O solo é bastante leve e de boa drenagem, com menos cobertura e mais pedras e areia. O vinho desse vinhedo é tipicamente carregado de aromas de ervas e frutas tropicais maduras.

– Blue Hills – Esse belo vinhedo, localizado ao lado do rio Omaka, produz sauvignon blanc de grande intensidade de sabores frutados, marcada por aromas evidentes de frutas tropicais. A região de Omaka é fria no inverno e muito quente no verão. O vinhedo está plantado em antigo leito de rio e o solo é composto uma camada de grandes seixos sobre base de cascalho e limo. Uma grande represa na propriedade provê irrigação para o vinhedo nesta região bastante seca.

– Somerset – Em 2008 jackson Estate adquiriu seu quarto vinhedo, localizado no lado oeste da Waihopai Valley Road, plantado com pinor noir e sauvignon blanc. Essa sub-região é conhecida por variações extremas de temperatura entre dias muito quentes e noites muito frias, o que maximiza a intensidade e a pureza de sabores na sauvignon blanc. A parcela de pinot noir, com clones da Borgonha, está plantada em argila densa e produz frutos de grande profundidade de sabor, estrutura e concentração. A diferença entre dia e noite traz aos frutos grande maturação física e ajuda a desenvolver os sabores dos taninos. Esses frutos irão contribuir para grande estrutura e equilíbrio dos vinhos Jackson.

Fonte: Premium Wines

 
1 comentário

Publicado por em 18 de outubro de 2011 em Dicas, Notícias, Novidades

 

Tags: , , , , , , ,

Sugestões de vinhos da Wine Stile – Vale conferir!!!

“A cada edição, os editores de Wine Style selecionam vinhos que consideram compras interessantes, ou porque são bons exemplos de um estilo, região ou variedade, ou porque oferecem boa relação preço/qualidade em sua respectiva faixa de preço, independentemente de serem mais baratos ou mais caros – ou seja, em
comparação com os preços médios de vinhos equivalentes em qualidade naquela faixa de preço”.

por ARTHUR AZEVEDO (AA ), BRUNO VIANNA (BV); FERNANDO BASILE (FB), FRANCISCO SOARES (FS), GERSON LOPES (GL), GUILHERME VELLOSO (GV) e RUI ALVES (RA)

Camplazens Premium 2003 (Languedoc/Casa do Vinho) – Feito por um corte comum à região –
Syrah, Grenache e Carignan, em que a primeira é dominante. Só existe em anos especiais. Potência, equilíbrio e final de boca muito agradável e persistente. Boa compra. (Casa do Vinho/Belo Horizonte) – GL

Danie de Wet Chardonnay Sur Lie 2008 (Robertson/África do Sul) – Embora não passe por madeira, o longo período de contato com as borras aumenta a complexidade deste bom Chardonnay do Novo Mundo, feito por um dos melhores produtores de vinhos brancos da África do Sul. Aromas frutados (maçãs e peras frescas) predominam, mas um toque de nozes aparece no nariz e na boca. Com boa acidez e frescor, é um vinho de corpo médio, cheio de sabor e equilibrado, em que o álcool (13,5%) não sobressai. (Mistral) – GV

De Martino 347 Vineyards (Maipo, Cachapoal e Maule/Chile) – Carmenère em pureza, este ótimo chileno assinado pelo craque Marcelo Retamal mostra cor violácea intensa e mescla matizes aromáticos da varietal proveniente de três vales chilenos. Os aromas remetem a ameixas, chocolate, pimenta preta, melaço, ervas
finas, café e caramelo, fugindo daquele herbáceo intenso pela excelente maturidade das uvas. É um vinho equilibrado, com bom corpo, taninos finos e muito persistente. (Decanter) – BV

Justino Madeira Terrantez Old Reserve (Ilha da Madeira/Portugal) – Um nobre e raro vinho da Ilha da Madeira, de uma varietal praticamente extinta. Intenso e sofisticado, mostra as clássicas notas de oxidação, mescladas a frutas caramelizadas e notas de casca de laranja confeitada. Doce e equilibrado, tem notável acidez, textura untuosa e muito longa persistência (Casa Flora/Porto a Porto) – AA

Les Breteches 2006 (Vale do Beka/Líbano) – Do Chateau Kefraya, traduz bem o significado de vinho bom e barato. Corte de seis uvas, Les Breteches mostra ao nariz toque florais, frutas bem maduras quase em compota, porém não enjoativas. É um vinho encorpado e mostra taninos macios. Boa persistência. (Zahil) – GL

Nederburg Winemaster’s Reserve Sauvignon Blanc 2007 (Stellenbosch/ África do Sul) – Um verdadeiro achado, este refrescante e puríssimo Sauvignon Blanc surpreende pela intensidade de aromas (frutas cítricas e maracujá, mesclados a instigantes toques herbáceos) e de sabores. Na boca é concentrado, equilibrado e com
final focado na fruta. Delicioso para acompanhar frutos do mar, sushi e sashimi (Casa Flora/Porto a Porto) – AA

Private Selection Branco 2007 (Alentejo/Portugal) – Este já é um clássico de Portugal e continua na lista dos melhores brancos daquele país. Curiosamente é produzido com a francesa Sémillon em pureza. No aroma
tem a fruta muito madura, toques de mel e baunilha, decorrentes da madeira presente e bem colocada. Na
boca, ressalta sua boa estrutura, com excelente acidez. (Qualimpor) – RA

Saint Clair Vicar’s Choice Pinot Noir 2007 (Marlborough/Nova Zelândia) – Bom exemplar da varietal, em estilo Novo Mundo, este vinho mostra aromas de frutas vermelhas maduras, (morangos e framboesas) floral, (rosas), com boa intensidade. Na boca revela boa acidez, média concentração, corpo adequado ao estilo e média persistência. Tem agradável retro-olfato. (Grand Cru) – FB

Só Syrah 2004 Bacalhoa (Alentejo/Portugal) – Um puro Syrah lusitano, de intensa cor rubi, impenetrável. Aroma intenso e de livro texto… Especiarias, chocolate, tostado, baunilha e coco. Estilo novo mundo. Fácil, enche a boca, untuoso, sem amargor, taninos finos, final muito agradável, equilibrado e longo! (Portus Cale) – FS

Tua Rita Perlato Del Bosco 2005 (Toscana/Itália) – Um autêntico “vinho de garagem”, produzido por uma das mais conceituadas vinícolas da Itália, este corte de Sangiovese (70%), Cabernet Sauvignon (25%) e Syrah (5%) exibe aromas de frutas escuras, com notas minerais e leve toque de fino couro. Equilibrado, concentrado e muito longo, esbanja classe e sofisticação (Grand Cru) – AA

Vila Santa Syrah 2006 (Alentejo/Portugal) – Um belo vinho de um dos mestres da enologia, que é João Portugal Ramos. Tinge a taça e mostra especiarias doces e frutas vermelhas e negras ao nariz. Bom volume de boca, fresco, uma constante nos vinhos deste enólogo. Aqui não há nada de sobremadurez ou sensação de enjoativo. (Casa Flora/ Porto a Porto) – GL

 
Deixe um comentário

Publicado por em 5 de outubro de 2011 em Dicas, Sem categoria

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

  •  
    %d blogueiros gostam disto: