RSS

Arquivo da tag: Michel Rolland

Primeiro dia de visitas em Montevideo parte 2.

Após uma sessão de degustação na Bodega Carrau tínhamos uma visita um pouco diferente agendada. Na tentativa de agendar uma visita a Narbonna, um novo empreendimento criado no Uruguai com o intuito de produzir vinhos boutique de altíssima gama, fomos contatados por sua responsável pelas exportações, Fabiana Bracco, para degustarmos toda a linha de vinhos na loja Vinos del Mundo no bairro de Pocitos em Montevideo.

A Bodega Narbona tem sua sede principal e vinhedos em Puerto Carmelo, região oeste do Uruguai, mas também possui uma sede e vinhedos em Punta del Leste. Composto de um belo empreendimento turístico, o projeto vitivinícola recebe assessoria de Michel Rolland para seu vinhos. Passamos rapidamente pela sede em Punta del Leste e é impressionante, uma finca afastada do centro turístico, linda, com espaço para almoço, degustação de vinhos ou simplesmente jogar-se nas almofadas para curtir um final de tarde curtindo alguns queijos produzidos pela própria Narbona. Não deixem de degustar o Parmesão Narbona.

Como não tínhamos tempo hábil nesta visita para ir quase até Colônia de Sacramento fomos convidados para conhecer os vinhos em Montevideo.

Fomos muito bem recebidos por Fabianna e também por Soledade e Marcelo que conduziram uma degustação conosco de forma exemplar. Sorte que tivemos esta oportunidade pois em minha opinião provamos vinhos que em breve estarão entre os melhores do Uruguai.

Vamos inovar nesse post colocando não só as minhas impressões, mas também as do Enzo, que podem ser conflitantes, complementares ou dissonantes…esperamos que aproveitem:

Narbona Sauvignon Blanc 2012.

Cris: Um Sauvignon muito fresco e jovial, no visual aquele clássico amarelo prateado muito transparente, Nos aromas discreto, apresentando toques herbáceos, ervas frescas e um final tropical. Na boca não esperem um Sauvignon explosivo, cítrico e ácido, mas sim elegância, discrição, mais ao estilo de um bom Sancerre. Gostei muito, vale a pena conhecer.

Enzo: Um vinho quase transparente, de amarelo pálido, no nariz é bastante discreto, com um leve toque de frutas e ervas, na boca um fundo cítrico discreto, com uma ligeira mineralidade. Belo vinho para um domingo ensolarado.

Narbona Tannat Rose 2011.

Cris: Passamos para o que foi em minha opinião o melhor rosado uruguaio que degustamos até o momento. Particularmente tenho medo de rosados da uva Tannat, pelo excesso de cor e estrutura que pode passar ao vinho, prefiro os roses mais claros e frescos, contudo o ponto que chegaram a este foi incrível. Verdade que na cor se apresenta mais escuro, quase carmin, mas quando vem ao nariz percebemos o vinho que temos na taça, toques de frutas vermelhas, morangos, cassis, muito intenso e agradável. Na boca é incrível, aquela sensação que seu peso pode ser demasiado mas chegando no limite da força e ficando por aí, entrando então em cena sua veia ácida com grande equilíbrio. Um rose carnoso, saboroso, com grande permanência. Indico muito. Minha única ressalva é seu preço, pelo que calculamos pode chegar a ser vendido no Brasil a quase R$ 120.

Enzo: O Cristiano havia me falado muito bem do vinho, mas minha primeira impressão, pela cor, foi de que havia muita extração naquele caldo e que teríamos mais um daqueles rosés exagerados do Mercosul, mas, começando pelos belos aromas de cassis e frutas vermelhas frescas percebi que havia elegância nessa garrafa. Depois de um gole generoso me deparei com aquele azedinho-doce do morango, seguido de uma bela refrescância promovida pela bela acidez do vinho. A persistência ficou muito acima das minhas expectativas. Comprei uma botella e comprarei mais mesmo com o preço salgado.

Narbona Pinot Noir safra 2011.

Cris: Seguindo a tendência de belíssimos Pinots uruguaios este seguiu no mesmo caminho. Na cor, uma característica que defendo muito, a tipicidade, estava perfeito, coloração vermelho granada de média intensidade. No nariz um pouco fechado, sua breve passagem pelo carvalho aporta aromas de geléia de frutos vermelhos e aromas florais de rosas. Na boca os taninos do carvalho se notam brevemente mas sem exageros, boa fruta e acidez, muito saboroso. Um Pinot que necessita um pouco mais de trabalho mas acho que vai surpreender muito.

Enzo: Começou me agradando pela cor escarlate leve, tipica de um pinot noir do velho mundo. No nariz leve presença de groselha e um tiquinho de baunilha. Na boca reforça o toque das frutas ligada a uma bela acidez e persistência muito interessante. Um bom vinho, honesto, mas nada de incrível na minha opinião.

Narbonna Tannat Roble 2010.

Cris: Belíssimo Tannat, muito bem elaborado, um tinto de pegada, muito escuro e velado, no nariz aromas animais, couro, café, especiarias, ótima intensidade e permanência. Na boca lindo, duro, rústico, mas no ponto, taninos e acidez presentes mas muito bem balanceadas, mostrando um vinho com grande potencial de guarda. Este com certeza vai ser uma grande surpresa quando vier ao mercado.

Enzo: Tingido de escarlate, copo sujo pelo espesso caldo violáceo de aromas de chocolate amargo, pimenta e outras especiarias no primeiro ataque. Nova tentativa minutos depois e alguns tons de frutas muito maduras também aparecem pra compor esse mosaico. Na boca um nervosismo não totalmente domado que me encanta justamente por isso…um pitbull de coleira!!! Bela persistência e a acidez que já se mostra como uma assinatura da Narbona.

Narbonna Tannat Luz de Luna 2011.

Cris: Impressionante, imaginem o Tannat Roble mas mais elegante, menos potente e musculoso, um Tannat um pouco mais feminino, contudo sem perder aquela dureza tão esperara desta cepa. Sua utilização do carvalho foi um pouco menor que o Roble, o que particularmente gostei bastante.  Um tannat muito gastronômico para acompanhar um belo entrecot jugoso.

Enzo: Como disse o Lee, é o Godzilla engarrafado!!!!Muita cor…ainda uma criança na garrafa. No nariz um tom de fumo de corda e belas frutas negras em compota…taninos impressionantemente indomados com a classe que se pode esperar de um tannat de alta gama… precisa de algo muito especial para aguentar o repuxo em uma harmonização. Muito corpo, bela acidez e persistência impressionante. O vinho da noite!

Falando em comida, após a degustação tivemos a indicação de Fabiana para jantar em um restaurante próximo a loja chamado Francis, havíamos recebido esta mesma indicação de um cliente. Mas isto é assunto para o próximo post.

 
1 comentário

Publicado por em 10 de agosto de 2012 em Dicas, Notícias, Técnicas e conceitos

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Bodega CarinaE: Onde as estrelas são as pessoas, os vinhos são brilhantes!!!

Nosso Confrade Cristiano Ribeiro acaba de ganhar um concorrente à altura no que se refere a indicações brilhantes de bodegas em Mendoza. O Enólogo portenho José Eduardo Molteno, proprietário da Enoteca La Cava de Vittório que fica na Calle Arenales, 2321 em Buenos Aires www.lacavadevittorio.com.ar .

Seus contatos com os proprietários (além é claro, da indicação da compra do então desconhecido Carinae Finca Deneza em minha última visita à Capital Argentina), nos possibilitaram conhecer de uma forma muito especial a Bodega Boutique Carinae, localizada em Cruz de Piedra – Maipú.

Com um céu desses só podia ser um dia especial!!!

– ” Es una bodega muy pequeña que hace vinos artesanales en Mendoza, con un toque de Viejo Mundo”. Me recordei prontamente das palavras proferidas pelo Eduardo quando me indicou a garrafa do malbec 2010 que degustei com os confrades em um encontro com nossas esposas no restaurante Divino em Gramado. E quando estacionamos a van ao lado de uma pequena construção em Adobe pintada de amarelo e fomos recebidos pelo enorme sorriso de Brigitte Subra tive certeza de estávamos em um quadrante especial nessa constelação de bodegas argentinas.

Brigitte e sua simpatia...uma das marcas da Carinae.

Com um espanhol perfeito, carregado pelo indefectível sotaque francês, a proprietária da bodega nos pediu para aguardar alguns instantes para que pudesse nos acompanhar em uma visita pela propriedade, seguida pela degustação de seus vinhos. Rapidamente estávamos imersos num mundo de constelações e estrelas que guiaram o casal de franceses de Marseille (que segundo a própria não entendia absolutamente nada de vinhos) para o comando de uma vinícola na Argentina.

Após muitos anos de trabalho e, aproveitando uma política de downsizing com demissão premiada da empresa multinacional em que Philippe trabalhava, resolveram mudar completamente suas vidas adquirindo um vinhedo de cerca de 80 anos de idade com 11 hectares de malbec, cabernet sauvignon e syrah com uma cantina antiga de paredes de adobe em ruínas e algumas dezenas de pilhetas de concreto.

Passado e Presente em fotos reveladoras.

Segundo Brigitte, imediatamente visualizaram o prédio atual e, de forma a expressar a paixão pela astronomia do marido resolveram batizar a vinícola com o nome de uma constelação que acompanha por quase todo o ano a propriedade. Carina, a Quilha, é uma constelação do hemisfério celestial sul, vizinha do nosso conhecido cruzeiro do sul. O genitivo, usado para formar nomes de estrelas, é Carinae.

Nebulosa Carina...a inspiração do casal Subra para seus os vinhos.

Além do vinhedo principal, outros 4,5 hectares de Malbec de 88 anos de idade foi adquirido em seguida no distrito de Pedriel, Rua Cobos (Lujan de Cuyo). Esta vinícola tem uma capacidade modesta para os padrões mendocinos – 260.000 litros anuais, uma cava com 27.000 litros em barris de carvalho francês, aliando ao uso de equipamentos até certo ponto rústicos (como a prensa francesa do início do século XX à tecnologia e consultoria de profissionais como o renomado Michel Roland e sua equipe para elaborar vinhos de alta qualidade.

Winefreaks ansiosos pela degustação dos vinhos da Carinae. Na foto, da esquerda para a direita, Jonas, Cristiano, Enzo, Isac e Leandro (abaixado).

Após visitar as instalações e conhecer cada um dos processos e pessoas envolvidos, fomos direcionados à sala de degustação, agora acompanhados pelo Philippe

Com uma extensa gama de produtos, tendo a Malbec como grande estrela, a jovem Bodega empolgou os Winefreaks. Provamos TODOS os vinhos da empresa e vamos dar nossas impressões à partir de agora:

Carinae Rose Malbec 2011, 13%. Rose de coloração mais intensa, salmão para cereja, aromas intensos de frutas vermelhas, goiaba, na boca boa estrutura, um rose mais robusto, em nossa opinião estava um pouco pesado demais no visual e na boca, informação que Philippe acabou nos respondendo por ter deixado uma extração um pouco mais longa do que gostaria.

Carinae Torrontes 2011. Vinificado com a variedade torrontes Riojano plantada em Mendoza, típico, amarelo palha bem claro com aromas de frutas cítricas, florais e final remetendo a maracujá. Na boca ótima tipicidade, equilibrado, com um final de boca muito agradável, não foi um dos melhores torrontes que degustamos na trip, mas não decepcionou.

Carinae Malbec 2010. Este Malbec de entrada da Carinae já demonstra que esta Bodega especializou-se nos tintos. Esta proposta mais jovem sem passagem por carvalho apresentou no nariz lindos aromas de ameixas negras, frutas vermelhas, principalmente morangos. Na boca excelente equilíbrio, tinha volume de boca suficiente para sustentar sua acidez, final de boca longo e muito agradável. Iniciamos os trabalhos dos tintos com o pé direito.

Carinae Cuvée Brigitte 2009. 72% Malbec / 28% Cabernet Sauvignon. Este tinto potente com 14,5% álcool não chegou a ser pesado, lembrou um pouco o malbec de entrada mas com mais intensidade de nariz e volume de boca. Taninos ainda nervosos com uma acidez bem marcada, a Cabernet entrou em cena. Sem duvidas um vinho mais gastronômico. Bela proposta.

Octans 2009. 79% Malbec / 21% Syrah. Esta foi uma das amostras mais interessantes que degustamos, é um vinho que passa 100% por barricas de carvalho francês de 3º uso por 8 a 10 meses com o intuito de afiná-lo um pouco e não passar aromas do carvalho. É o vinho da casa, não está  a venda no mercado, pode-se encontrá-lo somente da Bodega. Um tinto de grande pegada, taninos extremamente marcantes, potência, com certeza necessita um pouco mais de tempo em garrafa. Aqui já notamos o trabalho que a Carinae vem fazendo com a cepa Syrah, coisas boas ainda nos aguardavam.

Carinae Reserva Malbec 2009. Este tinto é um corte de duas parcelas distintas de Malbec de vinhedos diferentes. Passa 100% por barricas de carvalho francês de 2º e 3º uso por 10 a 12 meses. Um tinto carnudo, amplo, aromas animais, couro, tabaco, especiarias. Na boca um primeiro ataque cheio, com ótima pegada, acidez viva e balanceada. Um excelente Malbec.

Carinae Malbec Finca Deneza 2009. Este Malbec utiliza uvas de um único vinhedo localizado em Luján de Cuyo, passa de 8 a 10 meses em barricas de carvalho francês de primeiro e segundo uso. Um belo tinto, ótimo nariz, notas cozidas, frutas vermelhas secas, na boca um pouco denso, tem um ótimo volume, mas gostariamos de um pouco mais de acidez para balançar o conjunto. Um tinto de estilo mais gastronômico.

Carinae Cabernet Sauvignon 2008 Reserva. Crianza de 8 a 10 meses em barricas francesas de 2º e 3º uso. Um cabernet de grande pegada, taninos nervosíssimos quase verdes, levemente adstringente, em nossa opinião precisa de mais um tempo de afinamento. Como Philippe já tem este vinho no mercado nossa sugestão é degustá-lo com um prato intenso e gorduroso para balançar esta veia ácida dura.

Carinae Reserva Syrah 2008. Mesma crianza dos vinhos anteriores. Aqui começou a ficar claro que a Syrah é uma das meninas de ouro da Carinae, intenso no nariz, toques animais, pimenta negra moída na hora, alcaçuz. Na boca um monstro, primeiro ataque com grande potência e força, taninos nervosos mas nesta caso domados, apesar do seu volume de boca não chega a ser pesado. Excelente tinto.

Carinae Gran Reserva Malbec 2008. Aqui passamos a outro tipo de crianza dos vinhos anteriores, este tinto passa 15 meses amadurecendo em barricas de carvalho de primeiro uso. É um Malbec proveniente de dois vinhedos distintos. Com base nos vinhos anteriores esperava um Malbec muito potente, receando que até demais, mas não, estava incrível, equilibradíssimo. No nariz os aromas francos da Malbec estavam presentes e na boca  grande equilíbrio e força. O primeiro “Freak” da degustação que, por mais incrível que pudesse parecer, ainda tinha muito pra mostrar!!!

Carinae Gran Reserva Syrah 2008. Mesma crianza do Gran Malbec. Que tinto grandioso, um titã, muito complexo, tanto no nariz como na boca apresenta aromas levemente licorosos. Primeiro ataque na boca vigoroso mas evolui para um equilíbrio incrível, no final de boca todas as suas percepções se mesclam trazendo uma percepção de uma obra de arte bem acabada. Um grandíssimo Syrah….”Time Freeze” em todos os freaks que ainda sobreviviam!!!!

Carinae Prestige 2008. Um tinto elaborado com 70% Malbec / 25% Cabernet / 5% Malbec. Crianza de 18 meses em barricas de carvalho Frances novas. Podemos dizer que fechamos a degustação dos tintos com chave de ouro, a crescente foi incrível, este Prestige no nariz inicia discreto mas com a aeração abre-se para lindos aromas de cassis, frutas vermelhas cozidas, toques mentolados. Na boca perfeito, não apresentou arestas, equilíbrio e força em sinergia. Final de boca longo e agradável. Foi talvez o melhor vinho degustado em toda a viagem. Mereceu o título de freak do dia!!!!

Passito de los Andes 2011. Para encerrar a degustação Philippe nos ofereceu um licoroso recém engarrafado.  Este passito foi vinificado ao estilo dos passito italianos onde parte das uvas são vinificadas normalmente e parte das uvas são secas ao sol para concentrar seus açúcares. Possui 15% de álcool e 80gr/l de açúcar residual. No nariz lindos aromas de damascos secos, laranja Kinkan e geléia de laranja. Na boca tem um primeiro ataque interessante mas nos pareceu um pouco ralo, leve para um licoroso, acreditamos que precisaria de um pouco mais de açúcar para torná-lo mais apetitoso.

Depois dessa impressionante degustação, fica a certeza de que acima do terroir, do clima e da tecnologia, as pessoas e o que se extrai de suas almas fazem toda a diferença quando se buscam vinhos realmente surpreendentes.

Ainda bem que não dá pra ver os dentes e os lábios roxos...dá-lhe tanino nessa galera!!!!

Obrigado  Philippe e Brigitte por tudo!!!!

 
2 Comentários

Publicado por em 13 de fevereiro de 2012 em Bobagens, Dicas, Notícias, Novidades, Técnicas e conceitos

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

A saga dos Winefreaks – Chegada a Tupungato

Chegamos a nosso 4º dia de viagem e o destino agora era a cidade de Tupungato na região do Valle do Uco. Viagem tranquila de uns 140 Km sobre uma estrada muito boa com a cordilheira nos acompanhando. Nossa idéia em Tupungato era rumar diretamente para a pousada Tupungato Divino, indicação de um conhecido, porém, como não tínhamos reservas, íamos na torcida de conseguir os quartos para acomodar os 5 freaks.

On the road again!!!!

Entramos na cidade e nos deparamos com um problema já comum nessa viagem…o GPS simplesmente não possui informações detalhadas das cidades menores e não pudemos usá-lo para encontrar a pousada. Após uma série de tentativas frustradas acabamos encontrando cidentalmente uma enorme estrutura chamada Tupungato Winelands. Primeiramente achamos que poderia ser a pousada tão procurada. Ficamos parados em frente ao local mas não conseguíamos identicar o que era: Vinícola, Condomínio, Hotel? Após alguma discussão sobre se deveríamos entrar e furar nossa programaçao, resolvemos encarar, afinal de contas, os grandes momentos vem justamente de situações não programadas.

Após nos depararmos com essa imagem ficou a dúvida...entramos ou não??

E o nosso feeling estava calibradíssimo…que experiência incrível!!! Tupungato Winelands é um projeto imobiliário localizado a 50 min da cidade de Mendoza e 15 min de Tupungato, contando com uma área com 800 hectares de vinhedos com lotes privados e um campo de golfe com 18 buracos. Cada finca individual tem entre 2,5 a 4,5 hectares com 3000 m² reservados para a contrução de uma casa e o restante da área para ser dedicada aos vinhedos. Exatamente isto, o projeto consiste em cada morador ter seu próprio vinhedo na porta de casa!

O campo de golf com 18 buracos foi desenhado pela Adam Golf Design e está localizado a 1200 m de altitude sobre 60 hectáres de vinhedos, é lindo, e para aqueles que são golfistas uma notícia maravilhosa, o green fee para se jogar 18 buracos custa somente 180 pesos argentinos ( menos de R$ 90 reais). O campo não parece ser fácil, par 72, com buracos par 3, 4 e 5,  sendo que, praticamente desde o tee até o green o fairway é extremamente estreito e não permite erros.

Falando de vinhos, o vinhedo em Winelands tem acessoria do renomado enólogo Michel Rolland que tem a tarefa de ajudar aos proprietários a elaborar seus próprios vinhos.

Terminando nossa visita, chegamos ao restaurante do complexo, localizado em uma posição maravilhosa. no alto de uma colina. Ficamos um pouco temerosos dos valores dos pratos e vinhos, afinal de contas, clubes de golfe ao redor do mundo não são conhecidos por seus preços convidativos, ainda mais dentro de um vinhedo.

Lindo...mas será que era pro nosso bico??

Para nossa grata surpresa, os pratos tínham preços para lá de acessíveis…para se ter uma idéia, cada um pediu um bife de lomo, que estava muito bom, com empanadas e umas papas fritas rústicas maravilhosas de entrada. Tomamos dois vinhos brancos, um Portillo Sauvignon Blanc 2011 e um Zorzal Sauvignon Blanc 2011(ambos não decepcionaram…), gastando, com tudo isso incluído, incriveis R$ 60 por pessoa! Inacreditável!

Uma das iguarias do almoço...

Para completar as grandes surpresas do dia, teríamos de sair as 4 da tarde para caçar um lugar para nos hospedarmos, afinal ainda não tínhamos hotel reservado. Nesse momento, o gerente do local, Fernando Gonzalez, aproximou-se e nos sugeriu a Pousasa Salentein, dentro da renomado vinícola homônima. Ligou do celular pessoal e conseguiu uma reserva para cinco pessoas com tarifa especial e meia pensão! Dá para acreditar nisto?

A galera feliz à caminho da Pousada Salentein em um dia pra não esquecer jamais!!!

Mas isto é assunto para o próximo post do Blog.

Grande abraço a todos.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 29 de janeiro de 2012 em Dicas, Notícias, Novidades

 

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Confesso que bebi…Carinae Finca Deneza Malbec 2009 – Argentina

 – Este es un Malbec Argentino de estilo francés: foi o que me disse José Eduardo Molteno – Enólogo e Proprietário da interessantíma Enoteca La Cava de Vittorio na Calle Arenales, 2321 em Buenos Aires www.lacavadevittorio.com.ar .

O preço me pareceu muito convidativo para uma botella de um único vinhedo (“Finca Deneza”, na Rua Cobos, Perdriel – Luján de Cuyo) e com produção relativamente baixa: menos de 90 kg por hectare e somente 5.000 garrafas produzidas por ano – 92 pesos argentinos – cerca de 45 reais.

Algo mais me dava garantia de que se tratava de uma boa aposta: a supervisão técnica da vinícola é feita pela equipe do renomadíssimo enólogo Michel Rolland em vinhedos com mais de 90 anos de idade…os proprietários atuais também são franceses.

E não é que o Portenho estava certo? Ótima pedida à um preço muito convidativo.

Provei-o em uma noite muito especial com meu amigo e confrade, o Sommelier Cristiano Ribeiro e sua esposa, com uma massa incrível ao molho de fungui com um bife de chorizo alto e mal passado. Antes dele provamos um incrível Borgonha (que o Cris comentará em breve no blog…) – o que aumentava ainda mais a responsabilidade desse vinho.

E ele não decepcionou…muito concentrado, o caldo apresentou uma bela combinação de aromas de frutas vermelhas combinado com a baunilha e o chocolate. Na boca se mostrou realmente um vinho ao estilo francês, com taninos muito leves e muito bem trabalhados e belíssimo final de boca…mas pra variar (nos vinhos do Rolland) me pareceu um vinho muito honesto mas sem aquele tchan…aquela diferença que carcteriza os grandes vinhos.

Não o encontrei à venda nos principais sites brasileiros, mas recomendo à todos.

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 21 de novembro de 2011 em Dicas, Notícias, Novidades

 

Tags: , , , , , , ,

Os Famosos e seus Vinhos: conheça os ídolos que se renderam aos vinhos

Vinhos e Celebridades: Uma relação pra lá de interessante

Todos sabemos que produzir vinhos sempre foi uma atividade para poucos felizardos, cercada de status, exclusividade e nobreza. Talvez por isso, cada vez mais, exerça fascinação entre celebridades e endinheirados de todos os lugares do planeta.
Aproveitando a temática utilizado pelo Sommelier Marcelo Copello no jantar promovido pela Casa Flora e Porto a Porto em Gramado no mês passado, o blog dos Winefreaks vai lhes mostrar alguns dos famosos que estão ligados direta ou indiretamente à produção de vinhos. Vamos à eles:
Vou iniciar com o cineasta Francis Ford Coppola, conhecido por seus grandes filmes, como a trilogia “O Poderoso Chefão e Apocalypse Now, que, segundo consta, resolveu produzir vinhos para resgatar o passado de sua família na Itália. À partir de 1975 adquiriu diversas vinícolas no Napa Valley (Califórnia) e hoje é o um dos mais bem sucedidos casos de sucesso entre famosos e vinhos.

Alguns rótulos do Coppola: bonitos, bons, mas caros como a maioria dos bons vinhos americanos vendidos no Brasil.

Seu grande vinho, o Rubicon, um corte ao estilo bordalês (Cabernet Sauvigon, Merlot e Cabernet Franc)  feito com uvas de cultivo orgânico, tem cada vez mais agradado críticos e enófilos.
Outra celebridade devotada aos vinhos é ator francês Gérard Depardieu. Ele possui vinícolas em diversas regiões importantes da França (Bordeuax, Vale de Loire e Languedoc), e também na Espanha, Argentina e no Marrocos. Apesar disso, não possui vinhos tão bons e festejados quanto Coppola. Para alavancar as vendas, possui uma linha de vinhos que carregam seu nome e, além deles, um vinho nominado Cuveé Cyrano em homenagem ao seu mais famoso personagem: o narigudo Cyrano de Begerac.

Depardieu encarnado em seu personagem...com um nariz desses, ele deve ser bom de análise olfativa!!!

Já o galã Antônio Bandeiras, adquiriu em sua terra natal, a Espanha, uma bodega na região de Ribeira Del Duero .A vinícola chama-se Anta Banderas…o nome é questinável e ao que parece pelo que pude verificar na mídia especializada, seus vinhos também.
Para não ficarmos só nos astros do cinema, vamos citar o jogador da seleção espanhola Iniesta que investiu alguns milhões na compra de um vinhedo e na montagem de uma vinícola em sua terra natal, Fuentealbilla na
região de Albacete.
A primeira linha comercializada se chama “Corazon Loco” e “Finca El Carril” nas versões tinto e branco, além do lançamento mais esperado, um Chardonnay que leva o nome de sua filha, Valéria, com produção limitada entre 5.000 e 6.000 garrafas, e um preço estimado em 9,00 euros a garrafa.
Nas outras versões o preço gira em torno de 6 euros.O branco Corazon Loco é elaborado com Verdejo e Sauvignon Blanc e o Finca El Carril produzido a partir de Macabeo na região da D.O. Manchuella, em Castilla La Mancha. Na versão tinta o Corazon Loco leva Tempranillo e Graciano, sem crianza.
Nos locais de venda o sucesso é garantido pelo carisma do jogador e pela quantidade de fans que o seguem. A produção inicial da Bodega foi de 250.000 garrafas, em 120ha de vinhedos próprios.
Ainda no futebol, a Estate Alquimia Agrelo de Mendoza na Argentina possui uma linha de vinhos com o nome do ex-craque argentino Diego Maradona.

Depois dessa, só falta uma Sidra do Curinthia!!!!

No Brasil, o tinto Bueno Paralelo 31 e o espumante Bueno Cuvée Prestige, produzidos pela Vinícola Bueno Bellavista Estate, localizada na Campanha Gaúcha. Os produtos têm a assinatura do renomado winemaker francês Michel Roland e foram elaborados com a orientação técnica dos enólogos da Miolo. Tratam-se sim de dois vinhos idealizados pelo narrador Galvão Bueno.

ÉÉÉÉ do Brrrrrrrasil!!!!!

O Bueno Paralelo 31 (paralelo onde se encontra a região da Campanha) é um assemblage das uvas Cabernet Sauvignon (60%), Merlot (30%) e Petit Verdot (10%).  Provamos esse vinho durante uma partida de futebol (veja no post Vinho Futebol Clube) e confesso que ele não decepciona não…tem bom aroma de frutas maduras, um equilibrado tostado, e um corpo bem interessante…honestíssimo como todo vinho com a mão do Rolland.

O espumante Bueno Cuvée Prestige é produzido com as variedades Chardonnay e Pinot Noir (50%), cultivadas no Vale dos Vinhedos (RS) e usa o método Campenoise de produção. Segundo a Miolo, o Cuvée Prestige remete a frutas como o abacaxi, maçãs verdes, pêra, damasco, além de manteiga e avelãs.

Quem sabe alguns de vocês não resolvem seguir os passos dessas celebridades e fazer seus próprios vinhos?? Quem se habilita???

 
3 Comentários

Publicado por em 5 de novembro de 2011 em Bobagens, Dicas, Notícias

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Confesso que bebi…Clos de Los Siete 2008

Clos de Los Siete 2008

Vinícola Clos de Los Siete
Pais Argentina
Região Valle de Uco, Mendoza
48% Malbec 28%Merlot 12% Cabernet Sauvignon 12%Syrah

DADOS TECNICOS

Alcool 14,5%

Envelhecimento 12 meses em barricas de carvalho francês

DESCRIÇÃO DA VINÍCOLA

Iniciado em 1998, o projeto do enólogo e consultor francês Michel Rolland prevê o lançamento de cinco vinícolas de vinhos de alta gama, em uma área de 850 hectares no Valle de Uco. Cada uma das vinícolas, capitaneadas por sete expoentes do mundo do vinho francês, produzirá um vinho distinto, sob a batuta de Michel Rolland. Uvas selecionadas em todas as propriedades são utilizadas na produção de um corte comum a todos, o Clos de los Siete. O Blend é realizado com vinhos de mais de 100 parcelas distintas, pelo próprio Michel Rolland nos meses de dezembro.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO (Acompanhando uma Pizza)

De coloração vermelho rubi bastante intensa, com um interessante aroma de frutas vermelhas bem maduras, muito equilibrado e harmonioso, com taninos de boa qualidade e final de média persistencia. Um vinho quse perfeito tecnicamente – o Roland é “o cara” pra isso…mas sem aquela pegada diferenciada que eu normalmente espero de grandes vinhos. O Parker deu 90 Pontos pra ele.

Comprado na Argentina por aproximadamente R$ 35,00.

 
2 Comentários

Publicado por em 2 de novembro de 2011 em Dicas, Notícias, Técnicas e conceitos

 

Tags: , , , , , , , , , , , ,

  •  
    %d blogueiros gostam disto: