RSS

Arquivo da tag: Stellembosch

Sugestões de vinhos da Wine Stile – Vale conferir!!!

“A cada edição, os editores de Wine Style selecionam vinhos que consideram compras interessantes, ou porque são bons exemplos de um estilo, região ou variedade, ou porque oferecem boa relação preço/qualidade em sua respectiva faixa de preço, independentemente de serem mais baratos ou mais caros – ou seja, em
comparação com os preços médios de vinhos equivalentes em qualidade naquela faixa de preço”.

por ARTHUR AZEVEDO (AA ), BRUNO VIANNA (BV); FERNANDO BASILE (FB), FRANCISCO SOARES (FS), GERSON LOPES (GL), GUILHERME VELLOSO (GV) e RUI ALVES (RA)

Camplazens Premium 2003 (Languedoc/Casa do Vinho) – Feito por um corte comum à região –
Syrah, Grenache e Carignan, em que a primeira é dominante. Só existe em anos especiais. Potência, equilíbrio e final de boca muito agradável e persistente. Boa compra. (Casa do Vinho/Belo Horizonte) – GL

Danie de Wet Chardonnay Sur Lie 2008 (Robertson/África do Sul) – Embora não passe por madeira, o longo período de contato com as borras aumenta a complexidade deste bom Chardonnay do Novo Mundo, feito por um dos melhores produtores de vinhos brancos da África do Sul. Aromas frutados (maçãs e peras frescas) predominam, mas um toque de nozes aparece no nariz e na boca. Com boa acidez e frescor, é um vinho de corpo médio, cheio de sabor e equilibrado, em que o álcool (13,5%) não sobressai. (Mistral) – GV

De Martino 347 Vineyards (Maipo, Cachapoal e Maule/Chile) – Carmenère em pureza, este ótimo chileno assinado pelo craque Marcelo Retamal mostra cor violácea intensa e mescla matizes aromáticos da varietal proveniente de três vales chilenos. Os aromas remetem a ameixas, chocolate, pimenta preta, melaço, ervas
finas, café e caramelo, fugindo daquele herbáceo intenso pela excelente maturidade das uvas. É um vinho equilibrado, com bom corpo, taninos finos e muito persistente. (Decanter) – BV

Justino Madeira Terrantez Old Reserve (Ilha da Madeira/Portugal) – Um nobre e raro vinho da Ilha da Madeira, de uma varietal praticamente extinta. Intenso e sofisticado, mostra as clássicas notas de oxidação, mescladas a frutas caramelizadas e notas de casca de laranja confeitada. Doce e equilibrado, tem notável acidez, textura untuosa e muito longa persistência (Casa Flora/Porto a Porto) – AA

Les Breteches 2006 (Vale do Beka/Líbano) – Do Chateau Kefraya, traduz bem o significado de vinho bom e barato. Corte de seis uvas, Les Breteches mostra ao nariz toque florais, frutas bem maduras quase em compota, porém não enjoativas. É um vinho encorpado e mostra taninos macios. Boa persistência. (Zahil) – GL

Nederburg Winemaster’s Reserve Sauvignon Blanc 2007 (Stellenbosch/ África do Sul) – Um verdadeiro achado, este refrescante e puríssimo Sauvignon Blanc surpreende pela intensidade de aromas (frutas cítricas e maracujá, mesclados a instigantes toques herbáceos) e de sabores. Na boca é concentrado, equilibrado e com
final focado na fruta. Delicioso para acompanhar frutos do mar, sushi e sashimi (Casa Flora/Porto a Porto) – AA

Private Selection Branco 2007 (Alentejo/Portugal) – Este já é um clássico de Portugal e continua na lista dos melhores brancos daquele país. Curiosamente é produzido com a francesa Sémillon em pureza. No aroma
tem a fruta muito madura, toques de mel e baunilha, decorrentes da madeira presente e bem colocada. Na
boca, ressalta sua boa estrutura, com excelente acidez. (Qualimpor) – RA

Saint Clair Vicar’s Choice Pinot Noir 2007 (Marlborough/Nova Zelândia) – Bom exemplar da varietal, em estilo Novo Mundo, este vinho mostra aromas de frutas vermelhas maduras, (morangos e framboesas) floral, (rosas), com boa intensidade. Na boca revela boa acidez, média concentração, corpo adequado ao estilo e média persistência. Tem agradável retro-olfato. (Grand Cru) – FB

Só Syrah 2004 Bacalhoa (Alentejo/Portugal) – Um puro Syrah lusitano, de intensa cor rubi, impenetrável. Aroma intenso e de livro texto… Especiarias, chocolate, tostado, baunilha e coco. Estilo novo mundo. Fácil, enche a boca, untuoso, sem amargor, taninos finos, final muito agradável, equilibrado e longo! (Portus Cale) – FS

Tua Rita Perlato Del Bosco 2005 (Toscana/Itália) – Um autêntico “vinho de garagem”, produzido por uma das mais conceituadas vinícolas da Itália, este corte de Sangiovese (70%), Cabernet Sauvignon (25%) e Syrah (5%) exibe aromas de frutas escuras, com notas minerais e leve toque de fino couro. Equilibrado, concentrado e muito longo, esbanja classe e sofisticação (Grand Cru) – AA

Vila Santa Syrah 2006 (Alentejo/Portugal) – Um belo vinho de um dos mestres da enologia, que é João Portugal Ramos. Tinge a taça e mostra especiarias doces e frutas vermelhas e negras ao nariz. Bom volume de boca, fresco, uma constante nos vinhos deste enólogo. Aqui não há nada de sobremadurez ou sensação de enjoativo. (Casa Flora/ Porto a Porto) – GL

 
Deixe um comentário

Publicado por em 5 de outubro de 2011 em Dicas, Sem categoria

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

  •  
    %d blogueiros gostam disto: