RSS

Arquivo da tag: uruguaiana

A saga dos Winefreaks – Dia 1 – Parte 1

Uma noite de muito calor em Canela, mal dormida, afinal de contas a viagem à Mendoza estava quase para começar. Para dar uma refrescada, nada melhor que uma chuvinha, mas o que veio foi digno de preocupação para Noé…uma chuvarada pra lavar a alma e também as malas e o resto enquanto carregavamos a van.

Nada de muito incrível nos muitos quilometros à partir de nossa saída, incluindo uma parada estratégica para o almoço no Texacão do Caverá (em Alegrete), muito interessante no quesito carnes e saladas – o preço R$22,00 por pessoa, incluindo um expresso no final.

Mas a aventura ainda estava por começar. Descobrimos afinal o porque do afamado Canto Alegretense iniciar com os versos “Não me perguntes onde fica o Alegrete…” pois alguns parcos quilômetros após nossa saída, mais precisamente à 13hs tivemos um aviso da Nau Winefreak – uma luz acesa no painel indicava problemas na bateria e, logo após o aumento repentino na temperatura do motor tivemos que parar no meio da estrada, sem muita certeza do que poderia estar ocorrendo.

Os técnicos P.P e B.A "analisando" o problema da Nau Winefreak.

A galera ficou um pouco tensa, pois estávamos no meio da estrada, sem comunicação com nenhum órgão de apoio, nem conhecimento do que poderia estar causando o superaquecimento do motor.Mas, como em toda aventura bem sucedida, eis que surge logo após a ponte, um ciclista que prontamente nos pergunta sobre o que estava ocorrendo e, prontamente nos empresta seu veículo (a bike…) para que pudéssemos voltar ao posto e buscar apoio. Daí pra frente é história…

Jonas e o nosso amigo Manoel Correa

Nosso confrade Jonas suou a camisa (literalmente) e foi até o posto buscar ajuda – que veio – mas não antes de mais de uma horinha de chá-de-cadeira, muito calor, ligações para todas as oficinas e concessionárias da região.

Frajola suando a camisa em prol do grupo!!!!

Com a chegada do mecânico (que na verdade era entendido de elétrica) ficamos sabendo do diagnóstico de forma rápida, direta e precisa. Uma correia que estava quebrada não permitia o arrefecimento do motor. Fomos escoltados até uma oficina mecânica (a Oficina Cacoete…é sério, esse era o nome…). Lá foi retirada a correia quebrada e feita a substituição dela e de mais uma que eventualmente poderia nos trazer novos transtornos. Resultado: R$ 180,00 de peças e mão-de-obra e 3 horas de atraso no cronograma.

Saimos de lá direto para a fronteira em Uruguaiana, onde atravessamos a ponte Internacional que corta o Rio Uruguai, ligando a cidade Gaúcha à Paso de Los Libres, do lado Argentino. Com a chegada ao país vizinho vieram também a burocracia de filas, guias, falta de placas, falta de informação, mas mesmo com tudo isso, em cerca de 35 minutos estávamos prontos para iniciar a parte internacional da viagem que ainda exigiria muita paciência, sangue frio e uma dose de sorte.

Logo nos primeiros minutos após a saída, mais precisamente, após uma rápida parada em Momtes Caseros para nos abastecermos de água e erva-mate fomos abordados pela polícia local. Após pararmos, sem sequer solicitar os documentos obrigatórios para a viagem o oficial argumentou que estávamos sem a luz baixa acesa (segundo ele, obrigatório nessas pradarias) e que seríamos multados em aproximadamente 700 pesos, a não ser que pudéssemos colaborar com a instituição com um “arrego” de 350 pesos. Muita conversa e aborrecimento depois, fomos liberados após nos afanarem 70 pesos e mais 40 reais.

Oficial Rodrigues recebendo uma ajuda de custos para manter sua qualidade de vida e o leite das crianças...

Depois da esfolada em Montes Caseros, fomos parados mais 2 duas vezes em menos de 25 km. Na primeira delas nos ofereceram um mapa das estradas argentinas (é sério…os policiais tentaram nos vender “na marra” um mapinha para ajudar a corporação, na segunda apenas um pente fino nos documentos por sermos brasileiros…

Após acharmos que seríamos sagrados até a mingua antes de conseguir finalizar o primeiro dia de viagem, voltamos a ter bons ventos e chegamos à Ruta 127. Andamos cerca de 250 km cheios de desvios e muitos e grandes buracos e rachaduras até que a estrada melhorou muito e pudemos chegar ao nosso primeiro destino, Santa Fé, após exatos 1170 Km percorridos em mais de 18 horas de estrada.

Para fechar o dia, jantar regado à carnes e vinhos…que lhes contaremos em detalhes no post seguinte.

Saúde à todos!!!

 

 

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 27 de janeiro de 2012 em Bobagens, Dicas, Notícias, Novidades

 

Tags: , , , , , , , , , ,

Conheça os detalhes da Viagem à Argentina dos Winefreaks

Cinco jovens moradores das cidades de Canela e Gramado, atuantes dos segmentos de turismo e gastronomia passaram a se reunir pelo grande interesse que compartilhavam em relação ao Vinho e suas peculiaridades. Motivados pelo sucesso destes encontros decidiram criar uma confraria, que levou no nome, o perfil entusiasta do grupo: Winefreaks, na melhor tradução: “Loucos por Vinho”, que já completou um ano e resultou na criação de um Blog no qual são relatadas suas melhores “enoexperiências”. E esse foi apenas o começo…

Cristiano Ribeiro, Enzo Arns, Jonas Lunkes, Leandro Sperry e Isac Azevedo: dois paulistas, dois gaúchos e um paranaense, empresários, guias de turismo, sommeliers, iniciam no dia 25 de janeiro a primeira de uma série de viagens em que pretendem atingir 2 objetivos: Conhecer os melhores e mais exclusivos vinhos e vinícolas do país e do mundo e divulgar as belezas e particularidades da Região das Hortênsias, com destaque para as cidades de Canela e Gramado, onde vivem e trabalham.

O destino escolhido para iniciar a aventura é provavelmente um dos mais importantes do Mundo, seja por sua enorme concentração de regiões produtoras e vinícolas, seja por sua emblemática capacidade de produzir vinhos excepcionais. Mendoza, na Argentina simplesmente respira vinho. A região é a mais importante produtora das Américas, concentrando cerca de 1200 bodegas e produzindo mais de 12 milhões de Hectolitros do precioso caldo de uvas cultuado em todo mundo. Para se ter uma ideia, esse volume corresponde a 70% de todos os vinhos produzidos na Argentina.

A viagem será feita em uma van especialmente preparada para essa viagem, que destacará em sua estilização externa a cidade de Canela. Serão mais de 5000 km de estradas, com destaque para a travessia da fronteira entre as cidades de Uruguaiana e Paso de Los Libres pela Ponte Internacional Getúlio Vargas-Agustín Pedro Justo que sobrepõe o Rio Uruguai, além das paradas em Santa Fé, San Rafael e Tupungato, até a chegada na capital da província, Mendoza. Além dos vinhos, alguns passeios diferentes esperam a turma, como a visita ao Parque Provincial Aconcágua que é a base da montanha mais alta das Américas e também do Hemisfério Ocidental: o Aconcágua, com 6.962 metros de altitude.

Serão 12 dias, mais de 20 vinícolas, 25 restaurantes, bares e similares, 5 hotéis e pousadas, dezenas de vinhos diferentes degustados e a possibilidade de confrontar as similaridades e diferenças entre os países, suas culturas, seu modo de vida, seus encantos e mazelas.

A viagem dos Winefreaks é apoiada pelas seguintes empresas: Prefeitura Municipal de Canela, Brocker Turismo, Guimarães- Griffe em Imóveis, Super Carros, Harley Motors Show, Museu de Cera, Hollywood, Auxiliadora Predial – Casa da Serra, Santé Atividade Corporal, Ecoparque Sperry, Restaurante Bergamota, Agência Viajar Melhor e Mercadores de Vinhos. O Jornal Integração e a Revista Gramado cobrem a viagem com exclusividade.

Para saber mais sobre a viagem, seus destinos e tudo sobre o dia-a-dia dos enófilos acesse www.winefreaks.com.br .

 
Deixe um comentário

Publicado por em 23 de janeiro de 2012 em Bobagens, Dicas, Notícias, Novidades

 

Tags: , , , , , , , , , , ,

  •  
    %d blogueiros gostam disto: