RSS

Arquivo da tag: vinhos italianos

Próximo encontro: Enopatria Itália parte 1

Após um ano intenso e recheado de ótimas degustações, estamos chegando ao nosso último encontro, e como não poderia ser diferente com os winefreaks,vamos degustar vinhos de um dos meus países produtores preferidos, a Enopatria Itália. Neste encontro não optamos por regiões, castas ou produtores específicos, mas resgatamos em nossas adegas alguns caldos especiais que só poderiamos abrir com esta confraria especial.

Vamos aos nomes:

Para abrir os trabalhos escolhemos um branco da região do Alto Adige, um Pinot Bianco do produtor Franz Haas, safra 2007. Esta região no norte da Itália com seus vinhedos localizados a grandes altitudes e com grandes amplitudes térmicas expressa melhor as uvas aromáticas. Normalmente a Pinot Bianco é considerada uma casta inferior nesta região, mas acredito que na mão deste produtor podemos ter uma bela surpresa. O vinho é importado pela Decanter e custa em torno de R$ 120.

Seguindo, passamos para um tinto do Piemonte, mais precisamente da região de Alba, um Dolcetto D’Alba, Bricco Bastia, do produtor Conterno Fantino safra 2008. Esta cepa muitas vezes é eclipsada por outras variedades mais conhecidas do Piemonte como a Nebbiolo e a Barbera, uma pena, pois produz vinhos normalmente mais macios e prontos para serem bebidos mais jovens, seus taninos domados e acidez balanceada pode ser muito interessante em algumas ocasiões. Este Dolcetto vem de um vinhedo localizado em Monforte D’Alba nas colinas de Bricco Bastia. Não passa por barricas de carvalho, seu afinamento acontece nas pipas de inox e garrafa. Era trazido ao Brasil pela Enoteca Fasano, hoje não tenho certeza se ainda faz parte do portfólio deles. Custa na faixa dos R$ 120,00.

Seguindo nossa viagem pela Itália, continuamos no Piemonte, agora com um clássico de um grande produtor: Barbera D’Alba de Pio Cesare safra 2007. Este é sem sombra de dúvidas um dos maiores produtores de toda a Itália, seus Barolos arrancam premiações ano após ano, particularmente sou fã da uva Barbera, adoro aquela coloração meio granada com  seus aromas de terra, couro e frutas vermelhas e na boca tem tudo o que um vinho deve ser, frescor, com uma acidez marcante e quase sempre muito gatronômicos.

A seguir começamos a chegar no que deve ser o ponto alto da degustação, um Barolo, mas não qualquer Barolo, vamos descorchar um Elio Sandri safra 2001, chego a salivar só de pensar. Numa viagem recente a Itália, estava na região do Piemonte, na cidade de Las Morras, estava com um de meus mestres de sommelierie, e dentro da Enoteca de Barolo pedi uma sugestão, o italiano deu uma olhada pelas prateleiras e quando avistou esta garrafa, sem falar nada,  a puxou. Achei que ele ia me entregar, mas a primeira coisa que fez foi chamar o sommelier de plantão e perguntou: Vocês tem uma segunda garrafa deste vinho? Diante da resposta positiva ele me olhou e disse, agora sim, pode levar este, vai tomar um dos melhores Barolos que já degustou, a outra garrafa é minha! Bem, este Barolo da vinícola Cascina Disa localizada em Monforte D’Alba tem tudo para se mostrar grande, meu medo é se não estaremos abrindo antes da hora…

Cenas do próximo capítulo no próximo post…

Abraços

 
2 Comentários

Publicado por em 11 de dezembro de 2011 em Dicas, Notícias

 

Tags: , , , , , , ,

Vinhos e gastronomia da Itália: Características e regrinhas básicas

Como o encontro do mês de dezembro dos Winefreaks terá a Itália como tema, resolvi escrever um pouco sobre a comida mais incrível e simples do mundo e também sobre os vinhos mais gastronômicos que conheço.

Como sabemos, os pratos italianos geralmente tem um sabor muito pronunciado, o que requer como acompanhamento um vinho também muito marcante. Por isso mesmo, de modo geral, os (bons) vinhos italianos são o sinônimo de vinhos de bom corpo (o que vai ser motivo de festa para os nossos confrades B.A e H-Lee).

 

Vamos à alguns casamentos interessantes:

  • Pratos de carnes escuras, como a de coelho, cordeiro, cabrito, boi, porco, precisarão de um vinho tinto encorpado, como o Barolo.
  • Para acompanhar as massas, um tinto de corpo médio, como o Chianti é simplesmente incrível…coisa de cinema.
  • Para aves e peixes, os brancos secos, como o Soave.

Seria muito fácil sugerir harmonizações se fossem considerados somente alguns pratos e algumas cepas de uvas e tipos de vinificação, mas ao considerarmos que na Itália existem cerca de 4 mil tipos de vinhos e um sem número de uvas autóctones…a coisa fica bem mais difícil e também bem mais interessante pra provar, testar e analisar (o que pros freaks é mesmo um prato cheio!!! rs).

Poucas opções de vinhos né...

A partir de hoje vamos procurar tratar diariamente sobre temas relacionados aos vinhos italianos, além de apresentar opções de harmonização, ícones regionais, boas compras e dados sobre uma dos países mais incríveis do mundo.

Pra fechar esse post, um pouquinho do que veremos pela frente.

Alguns dos vinhos italianos mais conhecidos:

Nome Tipo Região
Brunello tinto Toscana
Chianti tinto Toscana
Barolo tinto Piemonte
Barbaresco tinto Piemonte
Bardolino tinto Vêneto
Valpolicella tinto Vêneto
Soave branco Vêneto
Orvieto branco Úmbria
Verdicchio branco Marche
Malvásia branco Puglia
Trebbiano branco Emilia-Romagna
Vermentino branco Sardenha
Frascati branco Lácio
 
Deixe um comentário

Publicado por em 22 de novembro de 2011 em Dicas, Notícias, Novidades

 

Tags: , , , , , ,

Afinal, o Churras combina ou não combina com Vinho?

Aproveitando que estamos na véspera do feriado, resolvi falar (novamente) de churrasco…tema que, como mulher, futebol e religião, é complicado de discutir. De toda forma, resolvi mostrar, na prática, que, além da cervejinha típica, é possível harmonizar muito bem o seu churrasco com os mais variados tipos de vinhos.

Com o apoio dos loucos por vinhos responsáveis pelo blog winefreaks, montei um guia para rápida consulta indicando que vinho combina com cada peça de carne e o porque da harmonização. Pode parecer frescura à primeira vista, mas garanto que ao longo do texto, vcs irão concordar conosco.

Então vamos às vacas frias…ou melhor às carnes na brasa:

  • Costela: (tanto aquela janelona que fica horas no fogo como aquela em tiras mais finas…) – Uma carne com alto teor de gordura pede um vinho com bom suporte de acidez e taninos bem aguçados. O Tannat uruguaio é uma ótima harmonização para contrapor a gordura. Um Syrah Australiano também pode ser uma harmonização surpreendente, pois, em geral contém frutas negras, bom corpo, sutileza e taninos presentes para contrapor as gorduras localizadas no interior da Costela.
  • Picanha: Uma carne suculenta, com fibras e boa porcentagem de gordura,  precisa de um vinho jovem e potente, como é o caso do Malbec argentino. Mas vou sugerir algo diferente para vc surpreeender sobretudo as mulheres…pegue a pontinha da Picanha (a parte correspondente a 3 a 4 dedos da ponta da peça), fatie e coloque na grelha, salpicada com sal fino dos dois lados, deixe entre o mal passado e o ao ponto. Por se tratar da parte mais nobre da picanha, macia e delicada, contem uma boa parcela de gordura, a qual requer um vinho com bom suporte de acidez,  tente um bom Carmenere chileno…vc e sua garota vão adorar!!!
  •  Coração de frango: Quer abrir os trabalhos com um coraçãozinho? Como, em geral ele é bem tempoerado antes de ir para o fogo, o sabor forte e acentuado vai requer um vinho branco com passagem na madeira, como um Chardonnay do novo mundo. Ponto para os chilenos e argentinos de novo!!!
  •  Contra-filé: Essa carne delicada e tenra, é de fácil harmonização e, de modo geral, acompanha incrivelmente bem os Malbecs argentinos, mas vou sugerir (e espero receber retorno) a harmonização com um Sangiovese italiano, faz um casamento interessante e permite ousar com um dos melhores vinhos para companhar comidas.
  •  Cordeiro: Se for um carré…que tal harmonizar com a uva mais bem adaptada às nossas pradarias…apesar do aroma forte, essa carne é muito delicada, macia e rica. Precisa de um vinho bem estruturado, mas também macio. De preferência, com complexidade aromática. Com o merlot do brasileiro estará muito bem harmonizada. No caso de uma Paleta ou de um Pernil, um Bordeaux tinto e os Cabernet Sauvignons do Novo Mundo farão bonito. Um Rioja também pode ser uma boa pedida!!

Agora é só comprar uma boa carne, botar fogo no carvão e chamar os winefreaks pra aproveitar o feriadão!!!! Lembrando que, depois de beber tanto vinho, não dirija!!!!

Winefreaks…loucos por vinhos!!!!

 
4 Comentários

Publicado por em 11 de outubro de 2011 em Dicas, Notícias, Técnicas e conceitos

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

  •  
    %d blogueiros gostam disto: